quarta-feira, 30 de julho de 2014

Vem aí o XX Festival de Folclore


Rancho das Cantarinhas festejou 50 Anos













O Rancho Típico das Cantarinhas de Nisa assinalou 50 Anos de existência com uma Festa Comemorativa na Praça da República. Uma festa onde não podia faltar o folclore, bem representado através das magníficas danças e dos cantares tradicionais que trouxeram o Rancho Tá Mar (Nazaré) e o Rancho Folclórico de Seixo da Beira (Oliveira do Hospital).

terça-feira, 17 de junho de 2014

NISA: Actuações em 2014 do Rancho das Cantarinhas

No ano em que comemora 50 anos da sua fundação (1964), o Rancho Típico das Cantarinhas de Nisa abriu o calendário de actuações de 2014 no dia 19 de Abril na Nazaré, seguindo-se a participação nas Comemorações do 40º aniversário do 25 de Abril, em Nisa, sendo agraciado, no decorrer da sessão solene comemorativa da "Revolução dos Cravos", com a Medalha de Mérito atribuída pelo Município de Nisa, como reconhecimento pelo trabalho desenvolvido ao longo de meio século de existência, na divulgação das tradições etnográficas do concelho e região, e na promoção do nome de Nisa.
A 28 de Junho, o Rancho Típico das Cantarinhas de Nisa promove, na Praça da República um espectáculo comemorativo dos 50 anos da sua criação, seguindo-se actuações em Laranjeiro, Seixo da Beira e Pouca Pena (Julho), o Festival de Folclore, em Nisa, no dia 2 de Agosto e actuações, ainda neste mês, em Mesquitela e Vale da Gama. Em Setembro, o Rancho das Cantarinhas tem actuação marcada em Mem Martins (Sintra).

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

MEMÓRIA: O Rancho das Cantarinhas e os poetas de Nisa

Para uma cançãozinha que oferecemos ao Rancho Típico das Cantarinhas de Nisa
 Ligeiro arroio brotou
Um dia à flor da terra.
Vales, planícies, serras,
montes, depois, galgou...
Ai! O rio pequenino
Ai! O meu rio menino,
Por quantas terras passou

O meu rio menino
Cresceu sem destino:
Caminho do mar
- já não é menino –
Lá vem sem parar...

Virgens, velhinhas, ladrões,
Santos, diabos, vilões,
Párias, ciganos, meninos,
Homens sisusdos, sem tino...
Ai! Os que viu e amou!
Por quantas terras passou!

O meu rio menino
Cresceu sem destino:
Caminho do mar
- já não tem destino
Lá vem sem parar ...

Ao mar o meu rio chegou!...
E algas, peixes, e conchas,
E barcos, mastros, e monstros,
Todos, a todos amou!
Ai! O meu rio pequenino
Por quantas terras passou!
Ai! Os que viu e amou!

O meu rio menino
Cresceu sem destino:
Caminho do mar
- já não é menino –
Lá vem sem parar...

Se o mundo se desse todo
Como o meu rio pequenino,
Cresceriam sem destino
Até brancas flores no lodo!

O meu rio menino
Cresceu sem destino:
Caminho do mar
- já não é menino –
Lá vem sem parar...
António Bento - in “Correio de Nisa” – nº4 – “ª série – 23/1/1965

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

HISTÓRIA DO RANCHO: Rancho Infantil na Praça do Município

A Praça, as luzes na Câmara, as crianças do Rancho, os trajes de Nisa. Um tempo que ficou para trás e que hoje recordamos nos Postais do Concelho.
  in "Jornal de Nisa" - nº 230